O Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria, nesta quinta-feira, 15, pela anulação das condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no âmbito da Operação Lava Jato. Votaram nesse sentido os ministros Edson Fachin, Alexandre de Moraes, Rosa Weber, Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Cármen Lúcia. Com isso, o petista recupera seus direitos políticos e pode disputar as eleições presidenciais de 2022.

Os ministros entenderam que as ações penais do tríplex do Guarujá, do sítio de Atibaia e do Instituto Lula não tinham ligações diretas com desvios da Petrobras. Foram vencidos os ministros Nunes Marques e Marco Aurélio Mello, que acataram o recurso da Procuradoria-Geral da República, que pede a manutenção das condenações do petista.