Após uma breve retomada nas votações, a Câmara dos Deputados só deve voltar as atividades na semana que vem. Nesta semana, a maioria dos deputados terá como foco o segundo turno das eleições municipais. Apenas o Senado deve realizar uma sessão, na quarta-feira, 25, com pauta ainda a ser definida. Com isso, os deputados vão ter que compensar o atraso em dezembro. Líderes do centrão defendem que sejam marcadas deliberações de segundas às sextas-feiras até o início do recesso parlamentar — previsto para 22 de dezembro. O presidente da Casa, Rodrigo Maia, defende que as sessões também aconteçam em janeiro, mas líderes de outros partidos desconfiam da ideia.

Para eles, esse cenário pode favorecer a vitória de um candidato apoiado por Maia nas eleições para a Presidência da Câmara em fevereiro ou até na reeleição dele. Os deputados deixaram acumular uma agenda cheia. Entre as pautas está o projeto de incentivo a cabotagem, chamado de BR do Mar. Outras prioridades imediatas do governo são pautas como a independência do Banco Central e o programa Casa Verde e Amarela. Enquanto isso, parlamentares tentam encontrar saída para aprovar o Orçamento da União de 2021 antes do recesso, conciliando a manutenção do teto de gastos com a possível criação de um novo programa de transferência de renda. A tendência é que, pela primeira vez, o projeto não passe pela Comissão Mista do Orçamento — indo direto ao plenário.

*Com informações do repórter Levy Guimarães