O líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) neste domingo, 21, pedindo que a Corte intervenha para que o Ministério da Saúde contrate, em até 24 horas, no mínimo duas usinas com capacidade de produção de oxigênio conjunta para evitar o colapso do sistema de saúde de Macapá, capital do Amapá. Em sua ação, o senador também pede que a União forneça apoio logístico da Força Aérea Brasileira (FAB) para a entrega das usinas e que o ministério apresente, também no prazo de 24 horas, um plano com medidas para evitar o colapso no fornecimento de oxigênio nos Estados brasileiros que correm risco de desabastecimento.

Randolfe também comentou o comunicado emitido pela White Martins, empresa produtora de oxigênio. “Infelizmente, a White Martins não tem condições técnicas e de logística para assumir o atendimento da forma em que se apresenta, ou seja, com os referidos acréscimos, diante do seu compromisso com a segurança, confiabilidade e melhor atendimento da população sob pena de colocar em perigo a vida das pessoas”, diz nota da empresa sobre a situação do Amapá. “O governo federal precisa agir imediatamente par evitar o colapso total no fornecimento de oxigênio para os pacientes que estão com Covid-19 no Amapá”, ressaltou. O Estado do Amapá contabiliza 91.515 casos da Covid-19 e 1.222 óbitos pela doença. A capital do Estado, Macapá, é líder no número de casos, com 39.903 pessoas infectadas pelo coronavírus. Em números de mortes, 831 macapaenses faleceram em virtude da Covid-19