A Câmara dos Deputados decide nesta segunda-feira, 1º, quem irá suceder Rodrigo Maia (DEM-RJ) na presidência da Casa. Apesar de nove nomes constarem como candidatos, a disputa pelo comando da Câmara será decidida pelo confronto entre Baleia Rossi (MDB-SP), candidato apoiado por Maia, e Arthur Lira (PP-AL), apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O presidente da Câmara formou um bloco em torno da candidatura de Lira pregando a “independência” da Casa e o fim da interferência do executivo no legislativo. O bloco uniu desde partidos do Centrão até partidos da oposição, como PT, PCdoB, PSB e PDT.

Ontem, no entanto, o partido de base de Baleia Rossi, o Democratas, anunciou “neutralidade” na eleição. Como a Jovem Pan mostrou, aliados de Lira contabilizaram que cerca de 20 integrantes da bancada, formada por 29 deputados, já haviam manifestado voto no líder do Centrão. O partido, porém, integrava o bloco de Baleia Rossi. O tamanho do bloco define a ordem de prioridade na escolha de cargos da Mesa Diretora e das comissões. Para vencer a eleição no primeiro turno, o candidato precisa de 257 votos. Caso este número não seja alcançado, os dois parlamentares mais votados se enfrentarão em segundo turno. Além de Lira e Rossi, estão na disputa Alexandre Frota (PSDB-SP), André Janones (Avante- MG), Fábio Ramalho (MDB-MG), General Paternelli (MDB-MG), Luiza Erundina (PSOL-SP) e Marcel Van Hattem (Novo-RS).

Arthur Lira (PP-AL)

Arthur Lira tem 51 anos e iniciou sua carreira na política em 1992, como vereador de Maceió. Ele ficou dois mandatos no cargo até se candidatar como deputado estadual do Alagoas, em 1998. Lira foi reeleito em 2002 e 2006. O político se filiou a pelo menos cinco partidos – PFL (atual DEM), PSDB, PTB e PMN, até se tornar membro do Partido Progressista (PP), em 2009. Lira está no seu terceiro mandato consecutivo como deputado federal. Arthur Lira é líder do Centrão e foi um dos responsáveis por aproximar o bloco do presidente Jair Bolsonaro.

Alexandre Frota (PSDB-SP)

Alexandre Frota tem 57 anos, é ator e político. Apesar de ser filiado a partidos desde 2013, Frota entrou de fato para a política em 2018 quando foi eleito como deputado federal por São Paulo. Filiado ao PSL, o parlamentar era um apoiador de Bolsonaro até que começou, abertamente, a discordar de algumas atitudes do presidente. Com isso, Frota foi expulso do PSL e se filiou ao PSDB. Em 2016, ele entrou com um pedido de impeachment da ex-presidente Dilma. Frota também é autor de pedidos de impedimento do presidente Jair Bolsonaro.

André Janones (Avante-MG)

André Janones tem 36 anos e já foi cobrador de ônibus, advogado e escrevente no Tribunal de Justiça de Minas Gerais em Ituiutaba. Janones foi filiado do PT, entre 2003 e 2012, e do PSC, entre 2012 e 2018. Apesar de ter disputado muitas vezes por cargos públicos, ele só conseguiu entrar de fato para a política em 2018, quando foi eleito deputado federal após se tornar um dos representantes da greve dos caminhoneiros daquele ano.

Baleia Rossi (MDB-SP)

Baleia Rossi tem 48 anos, é empresário e político brasileiro. É filho de Wagner Rossi, que foi ministro da Agricultura nos governos Lula e Dilma. Baleia entrou na política com 20 anos, quando foi eleito como vereador de Ribeirão Preto. O parlamentar ficou no cargo por dois mandatos. Em 2002, ele foi eleito deputado estadual de São Paulo. No meio do caminho, em 2004, ele saiu candidato à Prefeitura de Ribeirão Preto. Foi para o segundo turno, mas perdeu. Baleia Rossi foi reeleito como deputado estadual por dois mandatos. Foi eleito deputado federal em 2014. Na Câmara, o parlamentar votou a favor do impeachment de Dilma Rousseff, da PEC do Teto de Gastos e da Reforma Trabalhista. Em 2019, foi eleito como presidente nacional do MDB.

Fábio Ramalho (MDB-MG)

Fábio Ramalho tem 59 anos, é empresário e político brasileiro. Em 1196, foi eleito prefeito de Malacacheta, no Vale do Jequitinhonha, pelo PTB. Foi reeleito em 2000, enquanto membro do PFL. No final do mandato, se filiou ao PV e se elegeu como deputado federal por Minas Gerais. Antes de se filiar ao MDB, Ramalho foi membro do Partido da Mulher Brasileira (PMB). Votou a favor do impeachment de Dilma Rousseff, da PEC do Teto de Gastos e da Reforma Trabalhista. Em 2019, concorreu à presidência da Câmara, mas perdeu para Rodrigo Maia.

General Peternelli (PSL-SP)

General Peternelli tem 66 anos e é um militar formado pela Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN). Foi eleito como deputado federal por São Paulo em 2018. No ano seguinte, disputou a presidência da Câmara dos Deputados, mas recebeu apenas dois votos.

Luiza Erundina (PSOL-SP)

Luiza Erundina tem 86 anos, é assistente social e política brasileira. Luiza iniciou sua carreira em 1958 quando assumiu seu primeiro cargo público como secretária de Educação de Campina Grande (PB). Ela foi uma das fundadoras do Partido dos Trabalhadores. Em seguida, Luiza foi vereadora de São Paulo e deputada estadual. Em 1989, se tornou a primeira mulher a se tornar prefeita da cidade de São Paulo. No governo Itamar Franco, foi ministra da Secretaria da Administração Federal. Está em seu sexto mandato como deputada federal. Seu primeiro mandato foi pelo PSB. Em 2016, Luiza Erundina se filiou ao PSOL. Em 200, concorreu como vice na chapa do partido formada com Guilherme Boulos.

Marcel Van Hattem (Novo-RS)

Marcel Van Hattem tem 35 anos, é formado em relações internacionais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), é mestre em ciência política e em jornalismo. Iniciou sua carreira na política em 2004 pelo PP. Foi eleito vereador do município de Dois Irmãos aos 18 anos. Em seguida, foi deputado estadual por três mandatos consecutivos. Em 2018, Van Hattem foi eleito como deputado federal pelo Rio Grande do Sul. Atualmente, ele é filiado ao Novo.