Políticos e autoridades comemoraram a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que liberou o uso emergencial de duas vacinas contra a Covid-19 neste domingo, 17.  Com o aval, deve ser iniciado o Plano Nacional de Imunização com os compostos da Universidade de Oxford e com a CoronaVac, imunizante desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre, afirmou que a vacina é essencial para que possamos retomar as rédeas de nossas vidas. Já o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse que a ciência venceu e parabenizou o governador de São Paulo João Doria. Nas redes sociais, Doria afirmou que este domingo foi um dia histórico para a ciência brasileira.

Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da saúde do governo Bolsonaro, também se pronunciou sobre o assunto. Ele parabenizou o governo de São Paulo e disse “xô trevas, xô negacionismo, xô charlatões”. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso parabenizou o Butantan e a Fiocruz e lembrou que depois de se vacinar ainda será necessário evitar aglomerações. Já a deputada federal e presidente do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, parabenizou todos que lutaram pela decisão da Anvisa e disse que o Congresso Nacional precisa continuar funcionando para obrigar o governo a agir.

Outro político que se posicionou após a aprovação foi o ex-ministro e ex-governador do Ceará Ciro Gomes. Segundo ele, a decisão da Anvisa foi uma vitória da ciência, mesmo com todos os entraves do negacionismo do presidente Jair Bolsonaro, que gomes classificou como assassino. Após o anúncio da aprovação, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou que o governo vai começar a distribuição das vacinas para os estados nesta segunda-feira, 18. Ele também previu o início da campanha de vacinação para quarta-feira, às 10 horas.

*Com informações da repórter Nicole Fusco