Na reta final da campanha para a Prefeitura de São Paulo, o candidato do PSOL, Guilherme Boulos, decidiu suspender as agendas de rua após uma aliada ter sido diagnosticada com Covid-19. No início da semana, a deputada federal Sâmia Bomfim anunciou ter contraído a doença; ela esteve com Boulos na última sexta-feira. O candidato do PSOL ressaltou que não teve contato direto com a parlamentar e que não tem sintomas da infecção, mas afirmou que deve fazer o teste na próxima quarta-feira, 25.

“O contato que eu tive com a Sâmia foi absolutamente esporádico, eventual. Ambos de máscara, não tenho qualquer tipo de sintoma. Agora, por precaução, nós decidimos fazer o teste. Tomamos uma decisão de até sair o resultado do teste, por absoluta precaução, não fazer agendas públicas de rua.” Guilherme Boulos afirmou, ainda, que sua equipe não conseguiu agendar o exame para a Covid-19 em outra data e cutucou o adversário, o candidato Bruno Covas, do PSDB.

“Minha equipe tentou agendar o teste ontem, só conseguiu agendar para quarta-feira. Não conseguiu nenhum horário hoje para fazer o teste em hospitais, laboratórios, inclusive hospitais particulares. Não tem. O que é a expressão do aumento do número de casos e de internações na cidade de São Paulo, que inclusive o prefeito parece subestimar e tentar esconder.” Até que o resultado do exame saia, Guilherme Boulos manterá apenas agendas fechadas. Enquanto isso, as atividades na rua devem ficar a cargo da vice, Luiza Erundina. Apesar da suspensão das agendas de rua, ontem, após a deputada Sâmia Bonfim ter anunciado que estava com o vírus, Boulos promoveu uma agenda de rua no centro da capital e, na ocasião, foi registrada uma aglomeração. Nesta terça-feira, o candidato do PSOL se encontrou com servidores públicos e lideranças de sindicatos da área da segurança pública. A agenda aconteceu dentro de um hotel no centro da cidade.