A Procuradoria da República no Distrito Federal (PRDF) entende que cabe à Justiça Federal de São Paulo investigar o processo que acusa o recebimento de R$ 4 milhões do Instituto Lula por parte da Odebrecht. O caso estava tramitando em Curitiba, no âmbito da operação Lava Jato. No entanto, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin entendeu que este e outros processos, envolvendo o petista, deveriam ser enviados à Justiça Federal do DF. A decisão monocrática de Fachin foi confirmada no plenário da Corte. O Ministério Público Federal entende que a investigação deve ser continuada em São Paulo porque é onde os investigados moram e também onde os supostos desvios teriam acontecido. A decisão de encaminhar para São Paulo, ou manter em Brasília a ação, fica a cargo do juiz da 10ª Vara Federal do DF, Ricardo Leite.

Em paralelo à indefinição sobre o julgamento dos casos, o ex-presidente Lula começou, nesta semana, uma série de encontros políticos em Brasília. Pelas redes sociais, o petista contou que se reuniu com deputado federal Marcelo Freixo (PSOL). Segundo Lula, eles conversaram sobre o futuro do Brasil, do Rio de Janeiro, e também a respeito do auxílio emergencial. O petista deve conversar nesta terça-feira, 4, com o líder da oposição na Câmara, deputado Alessandro Molon. Há possibilidade, também, de ele se encontrar com o ex-presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

*Com informações da repórter Camila Yunes