O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, criticou o próprio partido, o DEM. Em uma reunião fechada no Palácio da Cidade, sede da prefeitura do Rio de Janeiro, nesta terça-feira, 26, ele chegou a dizer que o DEM corre o risco de virar “o partido da boquinha”. O deputado tem mostrado insatisfação com a posição de parte da bancada da legenda, que deve votar em Arthur Lira (PP) na eleição à presidência da Casa. O candidato é apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro, enquanto Maia foi o principal fiador da candidatura de Baleia Rossi (MDB). Um dos fatos que aumentou o descontentamento foi de deputados do DEM da Bahia, ligados ao presidente do partido, ACM Neto, terem anunciado voto em Lira. No entanto, negou ao jornal Folha de S. Paulo que as críticas tenham sido direcionadas a ACM, e sim que apenas alertou o colega de legenda.

Já o deputado Baleia Rossi, em reta final de campanha, mostrou irritação com o ex-deputado Eduardo Cunha. Em um livro em que promete contar bastidores do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, Cunha relata que os principais artífices da queda da petista foram Maia, Baleia Rossi e o ex-presidente Michel Temer. Cumprindo agenda no Recife, Baleia disse que o ex-deputado “deveria estar mais comprometido na sua defesa, não deveria estar fazendo qualquer análise política e muito menos campanha” para Arthur Lira.

*Com informações do repórter Levy Guimarães