Um grupo formado por lideranças católicas e evangélicas protocolou um pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro, na Câmara dos Deputados. De acordo com os signatários, a peça se concentra “na denúncia dos crimes de responsabilidade referentes à área de saúde, o manejo criminoso das políticas sanitárias durante a pandemia, o não acesso à vacina, e o desprezo pela vida dos cidadãos e cidadãs brasileiras”. O documento é assinado por 380 lideranças, entre padres, bispos, pastores, frades e movimentos cristãos.

O secretário da Comissão Brasileira de Justiça e Paz da CNBB, Daniel Seibel, cita a postura do presidente Jair Bolsonaro com relação à vacina contra Covid-19. O ato simbólico foi acompanhado por deputados da oposição, mas nenhum membro das Frentes Parlamentares religiosas. Nesta quarta-feira, 27, os partidos de oposição vão apresentar um novo pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Assinado por líderes do PT, PSB, PDT, PSOL, PCdoB e REDE, o documento vai ter como justificativa o colapso da saúde em Manaus devido à falta de oxigênio nos hospitais. O pedido aponta o governo federal como o responsável direto pela situação.

*Com informações do repórter