O deputado Baleia Rossi, candidato a presidente da Câmara pelo MDB, se reuniu com representantes de seis centrais sindicais em São Paulo. Ele recebeu um documento com o que as entidades definem como cinco eixos estratégicos de atuação: vacinação para todos, manutenção do auxilio emergencial, geração de novos empregos, campanhas de solidariedade e fortalecimento da organização sindical. O último item é descrito como “recuperar a capacidade de atuação da estrutura sindical inovando na organização, formas de luta e nas proposições”.

Após o encontro, Baleia Rossi reforçou que, para a retomada de empregos no pais, a prioridade é a reforma tributaria. “A prioridade tem que ser a votação da reforma tributária, que melhora o ambiente de negócios e faz com que os investimentos possam vir com segurança jurídica, desburocratização do sistema tributário. Acredito que é um projeto que já está muito maduro para ser votado.” Baleia Rossi também fez um aceno à bancada ruralista. Após o presidente Jair Bolsonaro reclamar no Palácio do Alvorada que alguns parlamentares do setor estejam apoiando o emedebista.

“Eu tenho uma presença grande no setor da frente parlamentar da agropecuária, tenho vários amigos lá, parlamentares, que também entendem que a nossa candidatura não é de oposição — como muitos querem carimbar. A nossa candidatura é de independência da Câmara.” Nesta quinta feira, 14, outros três candidatos se lançaram à Presidência da Câmara. O partido Novo, que decidiu não apoiar nem Baleia Rossi e nem Arthur Lira, oficializou o deputado Marcel Van Hattem — que concorre pela segunda vez consecutiva. O deputado André Janones, do Avante, se lançou de forma avulsa com um discurso pela retomada do auxilio emergencial. Alexandre Frota (PSDB) confirmou que é candidato e disse que, se eleito, vai pautar o impeachment do presidente Jair Bolsonaro.

*Com informações do repórter Levy Guimarães