O Facebook anunciou que removeu mais de 140 mil conteúdos que violavam políticas contra interferência eleitoral no primeiro turno das eleições municipais. A rede social alega que as publicações possuíam “informações que poderiam desencorajar eleitores de irem votar, como por exemplo o horário errado de abertura das urnas”. A plataforma também recusou 250 mil submissões de anúncios relacionados ao pleito que não estavam rotuladas como “Propaganda Eleitoral” ou “Pago Por”.

Desde agosto, qualquer tipo de publicidade sobre política ou eleições no Brasil precisam passar por autorização do Facebook, confirmando que é natural e reside no país. Ainda de acordo com a empresa, cerca de 3 milhões de pessoas acessaram um aviso fixado no topo do Feed de Notícias que convidada o eleitor a conferir os protocolos sanitários no dia da votação. O internauta era direcionado para o site do Tribunal Superior Eleitoral. Durante o mesmo período, o WhatsApp baniu mais de mil contas por suspeitas de disparos de mensagem em massa.

*Com informações do repórter Levy Guimarães