Exonerado da Casa Civil por usar avião da Força Aérea Brasileira (FAB), José Vicente Santini foi nomeado, na última sexta-feira, 5, para o cargo de secretário-executivo da Secretaria-Geral da Presidência da República. A nomeação, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro, foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 8. Em janeiro de 2020, enquanto substituia o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, Santini usou o avião da FAB para viajar à Suíça e à Índia. O secretário executivo da Casa Civil, então, foi exonerado por Bolsonaro, que argumentou que Santini poderia ter viajado em voo comercial, como outros ministros fizeram.

No entanto, no mesmo dia, ele foi nomeado novamente para a posição de assessor especial de relacionamento externo da Casa Civil. Após a repercussão, a nomeação foi tornada sem efeito. Santini voltou a fazer parte do governo federal em setembro, quando foi nomeado assessor especial do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. A volta de Santini teve o aval do Palácio do Planalto após os três processos que ele respondia terem sido encerrados por não apontarem irregularidade por ele usar o voo da FAB.