Cabines espalhadas pelo Salão Verde e até drive-thru, a Câmara dos Deputados e o Senado Federal escolhem respectivos presidentes e membros da mesa diretora em uma eleição atípica. Em ambas as Casas, o processo será 100% presencial. Na Câmara, onde a eleição ocorre tradicionalmente no plenário, foram distribuídas 18 cabines pelo salão verde, local onde costumam circular profissionais de imprensa e assessores, além dos próprios deputados. O jornalistas vão poder ficar apenas no Salão Negro, espaço reservado para cerimônias especiais. O prazo limite para a formação dos blocos partidários é 12h e as candidaturas podem ser registradas até 17h. A sessão que vai escolher o sucessor de Rodrigo Maia (DEM) está marcada para 19h e o voto é eletrônico.

Já no Senado, a votação é manual por meio de cédulas e está marcada para começar às 14h. Além das urnas em plenário, senadores que estão em grupos de risco da Covid-19 poderão votar por drive-thru, por cabines instaladas na entrada do Congresso Nacional. Nas duas Casas o voto é secreto. Se algum candidato conseguir maioria absoluta, ou seja, metade dos votos mais um entre os parlamentares presentes, vence no primeiro turno. Caso haja segundo turno, vence quem obtiver maioria simples.

*Com informações do repórter Levy Guimarães