A CPI da Covid-19 ouve nesta terça-feira, 1º, a médica oncologista Nise Yamaguchi. Defensora da cloroquina no tratamento da doença, Nise será questionada sobre a atuação como conselheira do governo Jair Bolsonaro durante a pandemia. Opositores ao governo querem esclarecer se a médica orientou uma mudança na bula do medicamento para permitir a aplicação em infectados, conforme revelou o presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres. Parte dos senadores quer evitar, no entanto, que o depoimento se resuma apenas ao uso da cloroquina.

Nise Yamaguchi não será a primeira apoiadora do tratamento precoce, sem eficácia comprovada, a falar na comissão. Na semana passada, a Secretária de Gestão do Trabalho e Educação do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, conhecida como “capitã cloroquina”, detalhou a atuação na pasta, sobretudo na crise em Manaus. Ex-filiada ao PSDB, a médica Mayra não descartou a possibilidade de voltar à política no futuro. Opositora dos irmãos Cid e Ciro Gomes, ela disputou o Senado pelo Ceará em 2018. Com 882 mil votos, não se elegeu.

*Com informações da repórter Letícia Santini