O Conselho de Ética do Cidadania decidiu pela expulsão do deputado estadual Fernando Cury, flagrado apalpando a deputada Isa Penna, do PSOL, em plena sessão da Assembleia Legislativa de São Paulo. Para a relatora do procedimento, Mariete de Paiva Souza, a importunação sexual sofrida pela deputada fere frontalmente o Código de Ética do partido. No parecer, Mariete sustentou que ‘”as imagens do plenário por si conferem clareza à conduta rasteira e incongruente por parte de Fernando Cury contra Isa Penna”. A relatora afirmou que o “fato é grave e insolente e não permite outra interpretação diante de um acontecimento desrespeitoso e afrontoso, que deve ser combatido”.

Mariete ressaltou ainda que o caso não pode ser relativizado e lamentou a falta de empatia do deputado quando tentou convencer a todos em plenário de que “aquele era o comportamento dele” e que, se a deputada se “sentiu ofendida”, oferecia desculpas. O parecer da Comissão e o relatório agora serão encaminhados para o Diretório Nacional do Cidadania, a quem cabe deliberar sobre a expulsão de Cury. A defesa do deputado criticou a decisão e não descarta recorrer à Justiça. A deputada Isa Penna também quer a cassação do mandato do deputado. A parlamentar tem defendido a convocação da Assembleia em janeiro para discutir o caso. Apesar das pressões, o Conselho de Ética só deve analisar a situação de Fernando Cury na volta do recesso parlamentar. O caso também é investigado pelo Ministério Público.

*Com informações do repórter Vinicius Moura