O senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) oficializou a candidatura dele à presidência do Senado. Tido como favorito na disputa, ele reúne o apoio oficial de nove partidos: DEM, PSD, Progressistas, PT, PL, PDT, PROS, Republicanos e PSC. O parlamentar conseguiu a preferência tanto do presidente Jair Bolsonaro como dos petistas e outras forças de oposição. Cálculos de aliados estimam que ele já teria mais do que os 41 votos necessários para vencer a eleição.

Pacheco publicou uma carta em que afirma reconhecer “a necessidade de se manterem os méritos e os avanços da gestão atual” e que está “ciente de que os novos desafios do Brasil demandarão novas soluções”. Entre outros pontos, o senador promete garantir a democracia, a estabilidade social, política e econômica, preservar a independência do Senado e assegurar as prerrogativas dos senadores. Já a senadora Simone Tebet (MDB) esteve no Mato Grosso do Sul ao lado do deputado Baleia Rossi.

Em nota conjunta, eles dizem que “ a derrota do Planalto na guerra de vacinas contra o governador João Doria, o recibo passado pelo ministro Pazuello, o barulho das redes e ruas, além dos últimos arroubos autoritários e machistas de Bolsonaro, aumentaram as perspectivas de o MDB reconquistar as duas Casas do Legislativo”. O texto é uma elevação de tom de Simone Tebet em relação ao Planalto.

*Com informações do repórter Levy Guimarães