Após receber o diagnóstico positivo para Covid-19 na noite desta segunda-feira, 27, o candidato do PSOL à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos, começou a apresentar sintomas da doença na manhã deste sábado, 28. O líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) está com leve dificuldade para respirar, febre e dor no corpo. “Por medida de precaução, receberá uma visita médica em sua casa por volta das 14h30”, afirma a nota divulgada por sua assessoria de imprensa. Boulos realizou o teste após ter contato com a deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP), líder do partido na Câmara dos Deputados, que anunciou, no início da semana, que havia testado positivo para o novo coronavírus. Em razão do resultado, o último debate antes do segundo turno, que seria realizado pela TV Globo na noite desta sexta-feira, foi cancelado.

Em uma live em suas redes sociais, que também contou com a participação de sua candidata a vice, Luiza Erundina, Boulos convocou a militância para dar sequência à campanha, apesar de sua ausência nas agendas de rua. “Queria fazer dois pedidos a vocês. Primeiro, se cuidem: tomem todas as precauções, se protejam, usem máscara, álcool em gel. Segundo, continuem virando votos. É esse trabalho de vocês que está fazendo diferença”, disse Boulos. Erundina, por sua vez, afirmou que está “em forma e inteira” e pediu aos apoiadores que “façam campanha como se fossem os próprios candidatos”. “A ausência de Boulos tem que ser suprida pela nossa presença, pelos nossos esforços e pela nossa garra, tendo a certeza de que haverá uma vitória do povo de São Paulo”, afirmou a deputada federal. A assessoria de imprensa da parlamentar afirmou que ela não realizará o teste por enquanto, porque não teve “nenhuma relação direta” com Boulos ou com sua equipe por manter uma agenda separada – todos os seus compromissos são feitos com o “Erundina Móvel”, um carro adaptado para que a vice e ex-prefeita de São Paulo não tenha contato direto com as pessoas.