O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a instauração de um novo inquérito para investigar o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) e ordenou que o parlamentar deve pagar uma fiança de R$ 100 mil por violar a tornozeleira eletrônica. A decisão foi tomada nesta quinta-feira, 10, e o parlamentar terá que depositar o valor em até 48 horas. Segundo a Procuradoria-Geral da República (PGR), relatórios do monitoramento eletrônico apontaram mais de 30 violações, que estão relacionadas à falta de carga na bateria da tornozeleira, à área de inclusão  e ao rompimento da cinta. Moraes entendeu que as violações demonstram “inadequação das medidas cautelares” e indicam “necessidade de seu recrudescimento”. Silveira teve a prisão decretada em fevereiro por divulgar vídeo com ofensas e ameaças aos ministros do Supremo e defendendo medidas antidemocráticas em suas redes sociais. A prisão foi convertida em prisão domiciliar e uso de tornozeleira eletrônica.