O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), retirou nesta segunda-feira, 1, o sigilo das mensagens trocadas entre procuradores da Operação Lava Jato e o ex-juiz Sergio Moro. Desta forma, a decisão concede à defesa do ex-presidente Lula o acesso à íntegra dos diálogos que ocorreram entre Moro, Deltan Dallagnol e outros procuradores em conversas privadas e grupos de procuradores da Lava Jato durante os anos de 2015, 2016 e 2017. O material, que reúne todas as mensagens em 50 páginas, foi apreendido na Operação Spoofing, responsável por investigar um grupo de hackers que invadiu celulares de diversas autoridades em 2019, como o ex-ministro Moro e procuradores da Lava Jato.

“Retiro o sigilo dos presentes autos, remetendo-os à Secretaria Judiciária para as providências”, decretou Lewandowski em despacho. No último mês, o próprio ministro havia ordenado o sigilo. Segundo a defesa de Lula, condenado duas vezes na operação Lava Jato (caso do tríplex do Guarujá e caso sítio de Atibaia), as conversas retiradas do celular do ex-juiz podem servir como prova de que Moro teria agido com parcialidade ao condenar o ex-presidente.