A CPI da Covid-19 ouve, nesta quarta-feira, 12, o ex-chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom) Fabio Wajngarten. A oitiva é a mais aguardada desta segunda semana de trabalhos da comissão, instalada para apurar as ações e omissões do governo do presidente Jair Bolsonaro no combate à pandemia do novo coronavírus. A negociação da União com a farmacêutica Pfizer para a aquisição de 70 milhões de doses do imunizante estará no centro do debate – justamente por isso, a direção do colegiado decidiu que irá pedir a quebra dos sigilos telefônico e telemático do ex-secretário.

Como a Jovem Pan mostrou, a escassez de vacinas será atribuída ao ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, mas o teor do depoimento de Wajngarten é visto com ressalvas por auxiliares do chefe do Executivo federal. O ex-chefe da Secom foi convocado a depor após uma entrevista concedida à revista Veja, na qual afirma que o governo brasileiro recusou a oferta da Pfizer, em agosto do ano passado, porque houve “incompetência” e “ineficiência” dos gestores do Ministério da Saúde, à época comandado pelo general do Exército. Acompanhe a cobertura abaixo:

10:42 – Bolsonaro não interferiu na produção de campanhas contra a Covid-19, diz Wajngarten

Fabio Wajngarten afirmou há pouco que o presidente Jair Bolsonaro “nunca pediu que fizesse campanha sobre nenhum tipo” enquanto ele esteve à frente da Secom. “Se houvesse qualquer interferência, eu pegaria a minha mala e voltaria para a minha empresa e minha família em São Paulo”, disse.


10:30 – Secom fez campanhas contra Covid-19 desde fevereiro de 2020 

O ex-secretário de Comunicação da Presidência Fabio Wajngarten afirmou que a Secom realizou 11 campanhas contra a Covid-19 desde fevereiro de 2020. Ele disse que é um equívoco dizer que o governo federal não investiu em ações de prevenção e conscientização da população. “Por que pode parecer que não teve campanha? A comunicação evoluiu, estamos imersos na bolha de Brasília. A gente está na guerra no zap [WhatsApp] aqui”, afirmou.


10:16 – ‘Levei o assunto Pfizer a Bolsonaro na busca de uma solução rápida’, afirma Wajngarten

Em sua fala inicial, Fabio Wajngarten disse que procurou o presidente Jair Bolsonaro para tratar sobre a oferta de vacinas contra a Covid-19 feita pela Pfizer “quando soube, em novembro do ano passado”, que a farmacêutica enviou uma carta ao governo federal. “Tentei imediatamente auxiliá-lo em eventual impasse. Naquela altura, o maior desejo da sociedade era um só: vacinas. Daí vi por bem levar o assunto Pfizer ao presidente Bolsonaro, na busca de uma solução rápida. E assim foi feito”, explicou.


10:09 – ‘Honestidade e verdade são valores inquebrantáveis’, diz Wajngarten

Em sua exposição inicial, o ex-secretário de Comunicação da Presidência Fabio Wajngarten disse que “a honestidade e a verdade são valores inquebrantáveis, que guiam a nossa vida, nossa trajetória pessoal e profissional. Sem elas, não somos dignos da existência humana”.


10:05 – Wajngarten chega para depor

Após mais de 30 minutos de discussão sobre o repasse de recursos a Estados e municípios, o ex-secretário de Comunicação da Presidência Fabio Wajngarten chegou ao plenário da CCJ do Senado para depor.


09:58 – Líder do governo diz que Renan Calheiros que ser “relator universal” 

Na esteira da discussão sobre transferência de recursos para Estados e municípios, o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), disse ao relator da CPI da Covid-19, Renan Calheiros (MDB-AL) quer ser “o relator universal de todos os fatos da República”, rebatendo a declaração de Calheiros sobre a suposta existência de um “orçamento secreto” de R$ 3 bilhões para distribuir emendas parlamentares em troca de apoio no Congresso Nacional.


09:55 – Bate-boca entre senadores pode atrasar início de depoimento de Wajngarten

No início da sessão, o presidente da CPI da Covid-19, Omar Aziz (PSD-AM), disse que o depoimento do ex-chefe da Secom Fabio Wajngarten começaria pontualmente às 10h. Porém, os parlamentares estão discutindo sobre convocação de prefeitos e governadores há quase 30 minutos.


09:50 – Senadores governistas cobram depoimentos de prefeitos e governadores

Os senadores Marcos Rogério (DEM-RO), Ciro Nogueira (PP-PI) e Eduardo Girão (Podemos-CE), alinhados ao Palácio do Planalto, utilizam os primeiros minutos da sessão desta quarta-feira para cobrar do presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), a convocação de prefeitos e governadores. “Precisamos seguir o dinheiro”, disse Rogério, em alusão às verbas federais repassadas a Estados e municípios. “A CPI está pensa”, afirmou Girão, que voltou a pedir uma alternância de oitivas entre agentes públicos ligados à União e aos governos estaduais. “Só são depoimentos de agentes públicos do governo federal”, disse o parlamentar do Podemos.


09:27 – Omar Aziz abre sessão desta quarta-feira

O presidente da CPI da Covid-19, senador Omar Aziz (PSD-AM), abriu há pouco a sessão destinada ao depoimento do ex-chefe da Secom, Fabio Wajngarten.