A CPI da Covid-19 ouve, nesta terça-feira, 8, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. É a segunda vez que o titular da pasta depõe à comissão – a primeira oitiva ocorreu no dia 6 de maio. Naquela ocasião, o médico cardiologista evitou avaliar a conduta pessoal do presidente Jair Bolsonaro, que promove aglomerações sem o uso de máscaras e prega o uso da cloroquina, remédio ineficaz para o tratamento do coronavírus, e defendeu a autonomia de Estados e municípios para decretar medidas restritivas de combate ao vírus. Desta vez, o ministro será questionado sobre a situação epidemiológica do Brasil, o cronograma da vacinação no país e os protocolos estabelecidos para a realização da Copa América – a partir do próximo domingo, 13, dez seleções vão disputar o torneio continental em quatro sedes: Brasília (DF), Cuiabá (MT), Goiânia (GO) e Rio de Janeiro (RJ).

Antes, porém, os senadores vão votar 24 requerimentos de informações e convocações que foram incluídos na pauta pelo presidente do colegiado, Omar Aziz (PSD-AM). Como a Jovem Pan mostrou, o grupo majoritário da CPI, o chamado G7, formado pelos sete parlamentares independentes e de oposição, miram o suposto “gabinete paralelo” que assessora Bolsonaro na elaboração de políticas de enfrentamento à crise sanitária. Os membros da comissão podem aprovar as quebras de sigilo telefônico e telemático do vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, de Filipe Martins, assessor da Presidência da assuntos internacionais, citados como membros do suposto gabinete paralelo, de Ernesto Araújo (ex-ministro das Relações Exteriores), de Eduardo Pazuello (ex-ministro da Saúde), Fábio Wajngarten (ex-chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência), de Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde do Ministério da Saúde, de Carlos Wizard Martins, empresário, e de Marcos Eraldo Arnoud, conhecido como Markinhos Show, ex-marketeiro de Pazuello na pasta. Acompanhe a cobertura ao vivo da Jovem Pan: 

09:31 – Requerimentos não serão votados nesta terça 

Os requerimentos de informação e de convocação, incluídos na pauta pelo presidente da comissão, não serão votados na sessão desta terça-feira, 8. De acordo com o Omar Aziz, os senadores vão definir se os pedidos serão analisados na quarta-feira, 9, ou na quinta-feira, 10.

09:30 – Sessão é iniciada 

O presidente da CPI da Covid-19, Omar Aziz (PSD-AM), deu início aos trabalhos da comissão.