A Câmara dos Deputados elege, na noite desta segunda-feira, 1º, o sucessor de Rodrigo Maia (DEM-RJ) para o cargo de presidente da Casa. Nove parlamentares disputam o posto: Arthur Lira (PP-AL), lançado por bloco de 11 partidos com 236 deputados ao todo; Baleia Rossi (MDB-SP), lançado por bloco de 10 partidos com 210 deputados; André Janones (Avante-MG); Alexandre Frota (PSDB-SP); Fábio Ramalho (MDB-MG); General Peternelli (PSL-SP); Kim Kataguiri (DEM-SP); Luiza Erundina (Psol-SP) e Marcel van Hattem (Novo-RS). Para ser eleito em primeiro turno, o postulante precisa da maioria absoluta dos votos – se todos os 513 deputados votarem, serão necessários 257 votos. Caso este número não seja alcançado, os dois mais votados disputarão o segundo turno. A sessão foi iniciada às 19h20 e a votação está prevista para começar às 22h. Apesar dos nove candidatos, dois despontam como favoritos: Arthur Lira, líder do Centrão e apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro, e Baleia Rossi, escolhido por Rodrigo Maia. Embora tenha formado um bloco com partidos de centro e de oposição, como o PT, a campanha do emedebista sofreu com dissidências nas últimas semanas. Na noite deste domingo, 31, o DEM optou pela neutralidade – a decisão ocorreu após a maioria da bancada ter declarado voto em Lira. Horas antes do registro de seu bloco, caciques do PSDB, como o governador de São Paulo, João Doria, entraram em cena para impedir que o partido também desembarcassem do grupo capitaneado por Baleia. Diante deste cenário, aliados de Arthur Lira apostam em uma vitória no primeiro turno, com aproximadamente 280 votos. Confira abaixo a cobertura especial da Jovem Pan sobre a eleição para a presidência da Câmara dos Deputados.

20:18 – Fábio Ramalho é o terceiro a discursar 

O deputado Fábio Ramalho (MDB-MG), conhecido como Fabinho Liderança, é o terceiro candidato a discursar. O emedebista afirmou que esta é uma das eleições mais importantes da Câmara dos Deputados, citando a necessidade de aprovação de matérias capazes de mitigar os efeitos da crise causada pela pandemia do novo coronavírus. “A nossa economia está indo para os ralos”, disse Ramalho. O deputado também afirmou que “é hora de vacinarmos todos os brasileiros”.


20:12 – General Peternelli é o segundo candidato a discursar 

General Peternelli (PSL-SP) é o segundo postulante a discursar da tribuna da Câmara. Ele inicia sua exposição propondo que a população possa escolher, através de enquete virtual, itens a serem incluídos na pauta de votação. “Os deputados e o povo brasileiro são os que devem pautar a maioria dos projetos a serem brasileiro”, disse.


20:10 – Frota abre mão de sua candidatura

Ao término de seu discurso, Alexandre Frota (PSDB-SP) abriu mão de sua candidatura, anunciou voto em Baleia Rossi (MDB-SP) e citou um discurso do ministro Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Na convenção nacional do PSL, evento que oficializou o nome de Jair Bolsonaro como candidato do partido à Presidência da República, Heleno disse: “Se gritar pega Centrão, não fica um, meu irmão”. O tucano foi aplaudido por uma parcela dos deputados no plenário.


20:00 – Alexandre Frota é o primeiro a discursar e ataca Jair Bolsonaro

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) é o primeiro candidato a discursar. Eleito em 2018 pelo PSL, Frota diz que a eleição está sendo definida pela “compra de votos” e pela “ingerência do Palácio do Planalto”. “Na política não há princípios”, resumiu. “Minha candidatura é de protesto, é de repúdio”, acrescenta. Enquanto discursa, Frota é vaiado por deputados do PSL, sigla da qual foi expulso. O deputado do PSDB também afirmou que o presidente Jair Bolsonaro comete estelionato eleitoral por ter se aliado ao Centrão – na campanha da eleição presidencial, em 2018, o presidente afirmou que não governaria com a “velha política”.


19:20 – Sessão é iniciada na Câmara

A sessão que irá escolher o sucessor de Rodrigo Maia foi iniciada. A votação está prevista para às 22h.


RELEMBRE – Como antecipado pela Jovem Pan, a candidatura de Arthur Lira foi oficializada pelo Progressistas no dia 1º de dezembro de 2020, em uma reunião que contou com a presença de cerca de 40 parlamentares, entre eles o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), e o presidente nacional do partido, senador Ciro Nogueira (PP-PI). Baleia Rossi, por sua vez, foi anunciado por Rodrigo Maia (DEM-RJ) para sucedê-lo no dia 23 de dezembro. O emedebista disputava a preferência de Maia com os deputados Elmar Nascimento (DEM-BA), Marcelo Ramos (PL-AM), Marcos Pereira (Republicanos-SP), Luciano Bivar (PSL-PE) e Aguinaldo Ribeiro (PP-PB). A indefinição do grupo do atual presidente da Casa deu a Lira a vantagem na articulação.

Na reta final de campanha, Baleia Rossi sofreu com dissidências. Aliados de Lira monitoravam divisões em partidos como PSL, PSB, Solidariedade, DEM e PSDB. Na véspera da eleição, a Executiva Nacional do DEM, partido de Maia, desembarcou do bloco de Rossi e optou pela neutralidade. Além disso, segundo apurou a Jovem Pan, a permanência do PSDB só ocorreu após caciques tucanos, como o governador de São Paulo, João Doria, entrarem em cena.