O ex-ministro da justiça, Sergio Moro, foi alvo de um protesto relacionado às mensagens trocadas com procuradores da Lava Jato sobre casos de sua responsabilidade quando era juiz. O caso aconteceu nesta terça-feira, 09, durante um seminário da Universidade Mackenzie, que tinha como tema as lições e o legado da operação. Uma participante, que não quis ser identificada, recebeu o link de acesso ao webinar e passou a acompanhar o evento com a câmera desligada. Em um determinado momento, ela ligou a câmera e colocou na tela um cartaz com os dizeres: “Moro, explica as mensagens da #VazaJato“. O termo “Vaza Jato” é usado para se referir ao vazamento do conteúdo das conversas entre ele e os procuradores da força-tarefa. Na sequência, ela se retirou da videoconferência.

No evento, o ex-ministro acusou o Supremo Tribunal Federal (STF) de ter causado retrocesso no combate à corrupção no Brasil, ao mudar o entendimento sobre a prisão de condenados na segunda instância da Justiça. A declaração de Moro aconteceu no mesmo dia em que a Segunda Turma da Corte analisou a legalidade da defesa do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva de ter acesso aos dados da Operação Spoofing, que mostra a troca de mensagens entre os integrantes da Lava Jato e o ex-juiz. Ao falar da operação, ele acentuou que os revezes sofridos são de natureza política e classificou a Lava Jato como um marco, um “game changer” para a impunidade no Brasil mais importante até que o julgamento do mensalão, feito pelo STF.

*Com informações do repórter Daniel Lian