Um tenente-coronel da Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP) foi vítima de racismo durante uma palestra organizada pelo Instituto de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (USP) nesta terça-feira, 9. Evanilson de Souza foi convidado para falar no evento, realizado de forma online, sobre o programa de combate ao racismo desenvolvido por ele dentro da PM. Durante a fala dele, um dos participantes da palestra usou uma tela compartilhada para escrever ofensas de cunho racial contra ele. Em nota, a PMESP repudiou os ataques e afirmou que tem como missão perene defender os direitos humanos no Estado. “Como membro do grupo revisor do Manual de Direitos Humanos da Polícia Militar do Estado de São Paulo e profundo conhecedor da matéria, o Tenente Coronel Souza foi convidado pela organização do curso para, justamente, expor o programa da PMESP de combate ao racismo quando, logo no início da exposição, sofreu ataque cibernético que comprometeu desenvolvimento do trabalho”, pontuou trecho do documento.

Por meio das redes sociais, o ouvidor da Polícia Militar de São Paulo, Elizeu Soares Lopes, também prestou solidariedade ao tenente-coronel. “Não tenho palavras para qualificar uma covardia dessas com um oficial tão capacitado da PM”, afirmou. Ele reforçou o pedido para que os responsáveis pelo crime sejam identificados e punidos rapidamente e lembrou que o coronel faz parte de um programa de combate ao racismo desenvolvido por ele mesmo na PM. “Racistas não passarão”, pontuou. O departamento de Relações Internacionais da USP foi procurado pela reportagem, mas não se posicionou sobre o assunto até o momento.