A cidade de São Paulo vai receber um novo parque linear. A estrutura, que contará com uma pista de caminhada, ciclovia e cafés, faz parte da proposta do governo estadual para a revitalização do Rio Pinheiros. A previsão é que a construção do projeto seja iniciada no mês que vem e seja finalizada em fevereiro de 2022. Segundo o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente do estado de São Paulo, Marcos Penido, o parque será um benefício para a população de todo o estado. “Queremos que venha muita gente. Não é um benefício apenas para a cidade de São Paulo, é para a população do Estado de São Paulo, que poderá ter um rio limpo e um novo parque para utilizar”, disse em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan.

Segundo Penido, além da ciclovia, pista de caminhada e cafés, o projeto também inclui área voltada para estacionamento, pontos de apoio, espaço para lazer, prática de outras atividades físicas e banheiros. A entrada do parque será gratuita e a região do novo espaço vai permitir, de acordo com o secretário, que a população possa chegar com facilidade ao parque pelos meios de transporte público. Marcos Penido explicou que a proposta está incluída no eixo de requalificação do novo Rio Pinheiros. “Temos cinco eixos: saneamento, resíduos sólidos, manutenção, educação ambiental e comunicação e requalificação. Na requalificação, ele [parque] é a terceira etapa. Tivemos a primeira que foi a requalificação da ciclovia, depois a concessão da Usina São Paulo e essa é a terceira etapa. O parque vai desde a Ponte João Dias até a Ponte Cidade Jardim, totalizando 8,2km de extensão, onde teremos ciclovias, pistas de caminhadas, pontos de apoio, locais de lazer e eventos e um grande parque para a cidade de São Paulo.”

Ao ser questionado sobre a despoluição do Rio Pinheiros, Marcos Penido explicou que já foram retiradas mais de 21 mil toneladas de lixo superficial do local. Segundo ele, além da ações para retirada dos resíduos, atividades de educação ambiental também estão sendo desenvolvidas com a comunidade que vive na região, que abrange cerca de três milhões de habitantes. “Estamos indo nos locais, junto com escolas, com a comunidade e toda população colocando importância de se colocar o lixo no local correto, levando caçambas, lixeiras, mostrando qual o problema que traz o descarte irregular e mostrando que, mesmo estando longe do afluente, em um dia de chuva, esse lixo colocado no lugar errado vai para o afluente e vem para o Pinheiros”, explicou. Quanto às medidas de saneamento, segundo o secretário, 28% do projeto está concluído, o que permite que os visitantes da ciclovia do Rio Pinheiros já sintam uma “sensível melhora principalmente na questão do cheiro”.