O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, e outras 14 pessoas por crimes cometidos em contratos envolvendo a Petrobras. Dentre os acusados, está Renato Duque, que é ex-diretor de serviços da estatal. A denúncia foi feita na última segunda-feira, 8. Foram apontados crimes como formação de cartel, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e fraude à licitação. Destes, Dirceu foi denunciado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Essa é a primeira manifestação no âmbito da Lava Jato do Paraná após a integração com o Gaeco (Grupo de Ação Especial de Combate ao Crime Organizado) do MPF. Desde o início, a Lava jato já soma mais de 530 acusados.

O esquema ilícito investigado envolvia o pagamento sistemático de propinas por representantes de empresas em troca de favorecimentos em grandes contratos firmados com a Petrobras. As empresas envolvidas são a Hope Recursos Humanos S.A. e Personal Service Recursos Humanos e Assessoria Empresarial LTDA. Renato Duque foi denunciado por delito de quartel e corrupção passiva. Ele deixou a Petrobras em 2012, sendo preso duas vezes: em novembro de 2014 e março de 2015. Nas duas ocasiões, o engenheiro foi detido no âmbito da Operação Lava Jato.