O médico pediatra e toxicologista Prof. Dr. Anthony Wong, de 73 anos, faleceu nesta sexta-feira, 15, após parada cardiorrespiratória. Segundo nota da assessoria de imprensa, Wong foi internado antes do Natal com quadro de queda de pressão e mal-estar. Foi diagnosticado com úlcera gástrica e hemorragia digestiva. Durante a internação, evoluiu com quadro de descompensação do padrão cardíaco e padrões de fibrilação atrial. Veio a falecer no dia de hoje, após parada cardiorrespiratória. Em nota, o Hospital das Clínicas da FMUSP lamentou “profundamente” o falecimento. “O HCFMUSP presta solidariedade aos familiares e amigos”.

Wong era pediatra, professor, diretor do Instituto da Criança, do Hospital das Clínicas da FMUSP e diretor do Instituto Brasileiro de Estudos Toxicológicos e Farmacológicos. No dia 2 de novembro, ele participou do programa Direto ao Ponto, da Jovem Pan, onde falou sobre ter sido contaminado com a Covid-19 de forma assintomática ainda no início da pandemia, os principais erros e acertos da medicina com a doença, os riscos da pressa para se fazer uma vacina, a importância da administração de remédios em pacientes com sintomas iniciais e o que esperar do cenário da saúde do Brasil no futuro. “Como pediatra, eu tenho que estimular e tornar de certa forma obrigatória a vacina das crianças contra doenças cujas imunizações já têm segurança, eficácia e realmente proteção prolongada. Polio, sarampo e etc. devem ser obrigatórias. O que acontece com a Covid-19 é que, até agora, nenhuma vacina está segura, eficaz ou tem efeito duradouro. As próprias indústrias farmacêuticas não divulgaram os seus resultados. O que divulgaram foi propaganda. Eu não sou contra a vacina, mas tem que mostrar que funciona”, afirmou na época.

Biografia

Anthony Wong nasceu em 17 de abril de 1947 na cidade de Nanking, na China. Ele veio para São Paulo com sua família aos cinco anos de idade. Chegou a iniciar a faculdade de Medicina nos Estados Unidos, porém voltou para o Brasil e se formou em Medicina na Universidade de São Paulo (USP) em 1972. Fez residência médica no Departamento de Pediatria do Hospital das Clínicas da FMUSP e residência em Toxicologia Clínica, tornando-se mais tarde doutor nesta área. Atuava desde 1976 no Instituto da Criança e do Adolescente, onde era médico-chefe do Centro de Assistência Toxicológica (CEATOX). Em dezembro de 1992, foi concedido à ele o Título de Cidadão Paulistano pelo então vereador Edson Falanga.