Rodrigo Maia (DEM), ex-presidente da Câmara dos Deputados, criticou o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), por assinar decretos que facilitam o acesso a armas no país. Em uma rápida entrevista neste domingo, 14, enquanto saia do Forte Marechal Luz, em Santa Catarina, onde curte férias, o presidente disse que “o povo tá vibrando” com sua decisão. Em seu Twitter, Maia afirmou que a população tem outras prioridades para o momento. “Bolsonaro considera a parte pelo todo. Acha que seu mundo extremo representa o país. O povo não está vibrando. O povo não quer armas. A população anseia pelas vacinas“, escreveu.

Em edição extra do Diário Oficial da União, publicado neste sábado, 13, Bolsonaro publicou medidas que facilitam os limites da compra e estoque de armas e cartuchos para pessoas autorizadas pela lei. Em uma das propostas, é autorizado que pessoas certificadas possam adquirir até seis armas (antes eram quatro por pessoa); o número de armas compradas por atiradores também sobe para até 60 armas e caçadores, 30, só sendo exigida autorização do Exército quando superar essa quantidade.