O ministro das Comunicações, Fábio Faria, embarcou na terça-feira, 2, para uma viagem de quase 11 dias pela Suécia, Finlândia, Coreia do Sul, Japão e China para conhecer modelos internacionais da nova tecnologia do 5G. O ministro quer que a tecnologia esteja disponível já no ano que vem. A Anatel adiou nesta semana a decisão sobre a aprovação do edital que terminava as regras para a comercialização do 5G por aqui. O problema teria sido divergência na política de investimento da nova tecnologia. A expectativa é de que a discussão seja retomada no fim de fevereiro.

O Ministério das Comunicações entende que a implantação e operação dessa nova rede deve ser realizada por quem promova a maior eficiência no que diz respeito à técnica e preço, além do cumprimento dos pré-requisitos de segurança e confiabilidade. No edital do leilão, segundo o ministro, estão previstas obrigações como, por exemplo, que os interessados em participar façam investimentos para ampliar o acesso à internet no país. “Nós colocamos vários pontos importantes que são as obrigações que nos queremos no leilão do 5G. Como, por exemplo: o Norte conectado, a construção da rede privativa, 4G para todas as localidades acima de 600 habitantes, fibra óptica nos locais sem acesso.”

Três ministros do Tribunal de Contas da União também embarcaram com o ministro das Comunicações. O TCU é que vai analisar o edital do leilão do 5G depois do documento ter sido aprovado pela Anatel. O TCU tem 150 dias para se posicionar sobre o assunto, mas promete dar um parecer em apenas 60 dias. O ministro Fábio Faria considera possível realizar o leilão ainda no primeiro semestre e a nova tecnologia já estar disponível no país no ano que vem.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin