O fotógrafo Fernando Capellato contraiu a Covid-19 no fim de julho do ano passado. Ele já estava no sétimo dia da doença, quando precisou ser internado. Inicialmente, Fernando ficou em um quarto clínico, mas ele logo passou precisou ser levado para uma unidade de terapia intensiva (UTI), onde passou 45 dias. “Eu falava: ‘estou sem ar’. Era silábico o que eu falava, completamente. E o médico falava: ‘vou ter que te intubar, Fernando’. O desespero é tanto que você nem lembra que entubar é um procedimento complicado, não é algo tão simples, e eu falava: ‘faz o que for preciso’”, disse. A internação do fotógrafo custou ao hospital cerca de R$ 100.500,00.

Um estudo feito pela Planisa mostra que a diária de um paciente em uma UTI é de R$ 2.234, em média, enquanto o preço de um dia em um quarto clínico é um pouco mais baixo: R$ 1.139. Para fazer o levantamento, a empresa analisou dados de sete hospitais públicos, geridos por organizações sociais, entre julho e setembro do ano passado. A pesquisa é importante para entender quanto a pandemia está custando aos cofres públicos, como explica o consultor técnico da Planisa Túlio Fernando. “Essas organizações gerem o hospital e o recurso é passado por meio de contrato de gestão por secretarias estaduais ou municipais. obviamente, com aumento desses pacientes, desses gastos, impacta na questão da forma que essa os gere os recursos.”

O preço médio de uma internação na UTI ou no quarto levam em consideração apenas enfermeiros, médicos e remédios, por exemplo. Ficaram de fora desta análise exames como raio-x e tomografia, além de tratamentos como fisioterapia, que são importantes para muitos pacientes com Covid-19. Desta forma, o preço da internação deve ser ainda mais alto.

*Com informações da repórter Nicole Fusco