O Instituto Israelita Albert Einstein assinou um contrato com a Precisa Medicamentos e está apto a iniciar os testes clínicos da fase 3 da Covaxin no Brasil, o imunizante contra a Covid-19 do laboratório indiano Bharat Biotech. Os ensaios clínicos começaram na Índia em novembro de 2020 e estão em andamento em cerca de 26 mil voluntários no país. Os testes devem começar logo após a anuência da Anvisa e em seguida será pedido à agência o registro da vacina para colocá-la à disposição do Plano Nacional de Vacinação. Segundo comunicado da Precisa Medicamentos, existem conversas adiantadas com a Anvisa e com o Ministério da Saúde para a utilização da Covaxin.

“Os estudos realizados até agora apresentaram várias características exclusivas do produto, incluindo uma proteção de longo prazo com base na memória celular, a partir de vários pontos de proteção da vacina, por meio de várias proteínas-alvo do vírus, e não somente contra a proteína spike”, diz nota vinculada pela Precisa Medicamentos. O acondicionamento da vacina Covaxin é possível entre 2º e 8ºC. Nos primeiros testes clínicos a vacina mostrou-se eficaz diante da variante britânica do novo coronavírus e apresentou resposta imunológica “dentro do esperado”, mas números não foram divulgados. A Índia utiliza a Covaxin desde o dia 16 de janeiro, quando iniciou seu programa de imunização em massa, e já vacinou mais de 2 milhões de pessoas.