A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) liberou, na tarde deste sábado, 23, as doses da vacina da Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca para serem entregues ao Ministério da Saúde e, na sequência, aos estados e municípios. O avião que veio da Índia chegou ao aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, por volta das 17h20, onde foram recebidas pelos ministros Eduardo Pazuello (Saúde), Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Fábio Faria (Comunicações). De lá, as doses foram enviadas à Base Aérea do Galeão no Rio de Janeiro. A carga passou por um processo de análise de segurança, procedimento determinado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), durante a madrugada. O primeiro caminhão deixou a sede da Fiocruz por volta das 14h30.

A Fiocruz prevê que o último caminhão deixará o prédio às 16h. A fundação também informou que o infectologista do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz), Estevão Portela, será o primeiro a receber a vacina. A pesquisadora Margareth Dalcolmo também será imunizada. As 2 milhões de doses da vacina integrarão o Plano Nacional de Imunização (PNI), coordenado pelo Ministério da Saúde. A vacinação foi iniciada no Brasil no domingo, 17, no estado de São Paulo. Nesta sexta-feira, 22, a diretoria colegiada da Anvisa aprovou, por unanimidade, o uso emergencial de 4,8 milhões de doses do segundo lote da CoronaVac.

Os governadores foram avisados, na tarde desta sexta-feira, que as doses da vacina da AstraZeneca começariam a ser distribuídas às 16h deste sábado. Os estados preveem receber os imunizantes até o final da noite do domingo. Como a Jovem Pan mostrou, ficou acertado, ainda, que o Amazonas, que sofre com a falta de oxigênio em unidades hospitalares, receberá doses correspondentes a 5% da população do estado. Os demais estados receberão o equivalente a 2,5% de suas populações.