No que seria o primeiro dia do Carnaval 2021, a prefeitura do Rio de Janeiro inaugurou nesta sexta-feira, 12, uma iluminação especial na Marquês de Sapucaí para homenagear as vítimas de Covid-19 na cidade. O prefeito Eduardo Paes também entregou a chave da cidade, tradicionalmente dada ao Rei Momo e que representa a abertura da festividade, a profissionais de saúde que atuam na linha de frente. “Meu apelo, com dor no coração, com o coração partido, é para que a gente ajude esses profissionais e que a gente tenha amor ao próximo. E ter amor ao próximo, nesses próximos dias, é evitar aglomeração, é não ir a festas, não desfilar em blocos, não ter blocos. É curtir o Carnaval de uma maneira diferente.”

Nilcemar Nogueira, diretora do Museu do Samba, disse que essa é a forma de ocupar esses espaços e fazer um resgate simbólico. “Hoje não temos momentos de abrir Carnaval para festas, mas temos para chorar as mortes dos sambistas, dos brasileiros. Mas temos, principalmente, para reivindicar que haja um programa político, um programa cultural que nos inclua e que nos escute”, disse. Segundo a prefeitura, a homenagem vai permanecer na Sapucaí pelo período em que duraria o Carnaval, ou seja, até o sábado, dia 20, quando seria realizado o desfile das campeãs. A Marquês de Sapucaí e a Praça da Apoteose ficarão iluminadas todas as noites até a meia-noite. Outro objetivo é que as luzes também sejam uma forma de lembrar das vítimas do coronavírus que fazem parte do mundo do samba.

*Com informações do repórter Fernando Martins