Nesta terça-feira, 19, será iniciada a vacinação dos profissionais de saúde da rede pública e privada da cidade de São Paulo. A expectativa da Prefeitura é que cerca de 500 mil pessoas possam ser imunizadas na primeira fase da campanha, que começa às 15h de hoje, no Hospital Municipal Dr. José Soares Hungria, de Pirituba. Neste momento, serão priorizados os profissionais que atuam na linha de frente da assistência direta a pacientes com Covid-19 em hospitais (enfermarias e UTIs Covid-19) públicos e privados, prontos-socorros, UPAs, AMAs, UBS (profissionais da ponta para atendimento de sintomáticos respiratórios) e os profissionais que trabalham no SAMU Resgate. A primeira profissional de saúde imunizada será a técnica de enfermagem Helen Cristina de Camargo Seixas Pacheco, de 46 anos, funcionária do hospital Dr. José Soares Hungria há mais de seis anos.

Os cerca de 15 mil idosos residentes em Instituições de Longa Permanência (ILPIs) e os indígenas aldeados da capital também estão incluídos nas prioridades pré-definidas. As doses dessa primeira remessa serão encaminhadas aos Serviços de Saúde, que farão a distribuição às unidades para vacinação dos profissionais da linha de frente. No caso dos idosos acamados, os agentes da SMS farão o deslocamento até as instituições de internação para a imunização desse público. Considerando a quantidade de doses a ser recebida nesta primeira fase, neste momento não será disponibilizada imunização ao público geral nas UBS ou em qualquer outro posto de vacinação. A expectativa é receber mais 215 mil doses em até 15 dias para a segunda imunização dos profissionais, idosos e indígenas, totalizando 430 mil doses de vacinas para a primeira fase. Assim que acontecer o recebimento de novas remessas do imunizante, num segundo momento, serão incluídos na campanha, de forma escalonada, os demais profissionais de saúde e outros públicos prioritários, como idosos acima dos 75 anos.

Plano de vacinação

A capital já possui definida e estruturada toda a logística para a Campanha Municipal de Vacinação contra a Covid-19 e conta com os materiais necessários, entre os quais seringas e agulhas já destinadas apenas a essa ação, bem como o serviço de transporte e refrigeração específica. Foram adquiridos cerca de 25 milhões de insumos. A cidade de São Paulo já definiu 3 mil postos de vacinação, dos quais mil são equipamentos da rede municipal, que começarão a fazer a imunização à medida que novas remessas forem entregues. A ação deve envolver cerca de 27 mil profissionais, sendo 15 vacinadores e 12 mil para o apoio em todo o município de São Paulo. Para viabilizar a vacinação, o Centro de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (CADI) tem capacidade de movimentar anualmente cerca de 20 milhões de doses de vacina e dispõe de quatro câmaras conservadoras de imunobiológicos. O município de São Paulo pode armazenar mais de 7,3 milhões de doses de imunobiológicos simultaneamente.

Os imunobiológicos são recebidos pelo município por meio de repasse dos governos estadual e Federal. As vacinas são entregues pelo Centro de Distribuição e Logística do Estado de São Paulo (CDL) ao CADI, que faz a separação de acordo com grade de distribuição elaborada pelo Plano Municipal de Imunização. Depois, as vacinas são encaminhadas para o serviço de logística contratada, que faz a distribuição para as unidades Se saúde. Todo o processo, desde o recebimento a distribuição aos serviços de saúde, dura cerca de 36 horas (desde a chegada na cidade até as salas de vacina da rede municipal).

Locais de vacinação

Durante a campanha, serão utilizados cerca de 3 mil locais para vacinação. Haverá postos nas 468 Unidades Básicas de Saúde do município, que possuem salas de vacinação permanentes. Além deles, a cidade vai contar também com mil postos satélites, como praças, shoppings, estações de metrô, terminais de ônibus e pontos comerciais. Serão priorizados locais com grande movimentação de pessoas. Em todas as campanhas de vacinação, os postos satélites são utilizados, visando a facilitar o acesso ao público-alvo da campanha. Os locais são definidos pelas Coordenadorias Regionais de Saúde (CRS), da Secretaria, assim que a data de realização das campanhas é informada, bem como sua população elegível, critério de vacinação e estratégias. Serão utilizados ainda cerca de mil equipamentos da Saúde da rede, como as AMAs 12h e 24h, Pronto-Socorros, Unidades de Ponto Atendimento, Hospitais Dia e Hospitais da cidade. Também serão utilizadas cerca de 1 mil escolas, incluindo os CEUs. O município tem seu plano de vacinação no combate ao novo Coronavírus estruturado, e seguirá a programação do plano estadual. O esquema vacinal será de duas doses, com intervalo entre 14 e 21 dias entre elas.