O Instituto Butantan iniciou a produção de 8,6 milhões de doses da Coronavac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. Segundo o instituto, a produção está utilizando insumos vindos da China que chegaram ao Brasil na noite da última quarta-feira, 3. Em comunicado, o Butantan informou que o processo de envase foi iniciado na manhã deste sábado, 6, e que os 5.400 litros da matéria-prima passarão por “envase, rotulagem, embalagem e rigoroso processo de inspeção para controle da qualidade das ampolas”. Segundo o Instituto, a previsão é de que as doses estejam liberadas para imunizar os brasileiros a partir de 23 de fevereiro.

Na próxima quarta, 10, o Butantan deve receber mais 5.600 de IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) da Sinovac, que levarão à produção de 8,7 milhões de doses da Coronavac. A liberação e envio de outros 8 mil litros de matéria-prima estão sendo negociados. Segundo o instituto, até o dia 31 de janeiro, foram enviados 8,7 milhões de doses para o Programa Nacional de Imunizações (PNI). Na última sexta, 5, foram liberadas outras 1,1 milhão de doses, aumentando o total de doses entregues pelo Butantan para 9,8 milhões. A Coronavac, ao lado do imunizante desenvolvido pela Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca, são as únicas vacinas sendo utilizada na imunização dos brasileiros.