Os roubos cresceram mais nas áreas centrais e bairros nobres da capital paulista no primeiro semestre. Os índices estão afetando principalmente os bairros de Campos Elísios, Consolação, Itaim Bibi e Pinheiros. No primeiro bairro, a delegacia líder em roubos da cidade já registrou 1.865 no primeiro semestre de 2022. No mesmo período de 2021, o total de crimes do tipo foi de 818. O vendedor Vanderlei foi uma das vítimas nos últimos dias. “Há cerca de 25 dias, perdi um celular que me custou R$ 4 mil. De manhã, saindo do trabalho, que eu trabalho à noite, desci, ao atravessar, passou um desses motoqueiros e me levou o celular”, relata. Com a criminalidade solta, sobe o medo da população.

Presidente do Conselho de Segurança dos bairros Santa Cecília e Campos Elísios, Marco Antônio De Marco explica o que fez aumentar os números de roubos nessa região. “Durante a pandemia ficou pior, com o desemprego, são mais de 14 milhões de desempregados. Se você analisar o desemprego mais a pandemia, realmente complicou muito. Houve essa mudança, claro que todos sabem disso, da Cracolândia, saiu da Julio Prestes e foi para a praça Santa Isabel e isso ocasionou um pouco mais de demandas de furtos, de assaltos”, diz.

No bairro da Consolação, por exemplo, durante todo o primeiro semestre de 2022 já foram 662 roubos, no mesmo período do ano passado foram 312. No bairro de Pinheiros, foram registrados 801 roubos em 2022. No Itaim Bibi o total foi de 541. Marco Antônio De Marco diz acreditar que as ações para coibir os assaltos feitos por falsos entregadores podem melhorar a segurança da população. “A gente acredita e torce e reza para que isso aconteça, porque realmente está muito complicado. E eu não estou vendo uma melhora de imediato. Estamos em ano de eleições. Vai melhorar. Eu estou vendo um pouco mais de polícia, sim, mas precisamos de mais”, opina.

Artigo anteriorPetrobras anuncia aumento no diesel: como nova alta afeta o consumidor?
Próximo artigoPríncipe Charles substitui rainha Elizabeth pela 1ª vez na cerimônia de abertura do Parlamento britânico

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui