O partido Rede Sustentabilidade pediu que Supremo Tribunal Federal (STF) afaste o ministro-chefe do gabinete de segurança institucional, general Augusto Heleno, e o diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência, Alexandre Ramagem. Segundo reportagem da revista Época, a Abin, submetida ao GSI, teria produzido dois relatórios para ajudar na defesa do senador Flávio Bolsonaro na investigação de uma suposta rachadinha na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

A legenda também quer que tanto Heleno quanto a agência e a presidência da República sejam proibidas de fazer solicitações à Receita Federal ou ao federal de processamento de dados no caso envolvendo o ex-assessor Fabrício Queiroz. Além disso, foi sugerido pela Rede que a Procuradoria-Geral da República (PGR) investigue o presidente Jair Bolsonaro, sob a justificativa de possíveis crimes de advocacia administrativa e violação de sigilo funcional. A solicitação foi direcionada para o ministro Ricardo Lewandowski, que já é relator de um pedido de abertura de inquérito contra Ramagem e Heleno para investigar uma reunião deles com advogados de Flávio Bolsonaro. De acordo com a revista, o presidente da República também esteve presente neste encontro. Em nota, o gabinete de segurança institucional negou as acusações e disse que foi vítima de uma tentativa de difamação, com “acusações desprovidas de veracidade”

*Com informações da repórter Camila Yunes