A Marinha do Brasil está mais próxima de poder contar com dois importantes reforços para atuar na defesa da costa do país. Nesta sexta-feira, 11, o segundo dos quatro submarinos com propulsão diesel-elétrica que estão sendo construídos no Complexo Naval de Itaguaí foi lançado ao mar para os últimos testes antes de entrar em operação. Batizada de Humaitá, a embarcação se junta ao Riachuelo, lançado em 2018. O próximo submarino a ficar pronto será o Tonelero, que, nesta sexta-feira, teve as sessões integradas e agora poderá ser finalizado pelas equipes de montagem. A expectativa é que ele seja entregue em 2022. O presidente Jair Bolsonaro acompanhou a cerimônia de batismo do Humaitá e de Integração de Sessões do Tonelero. Para ele, a fabricação dos submarinos pela Marinha fortalece a indústria nacional de defesa e possibilita a evolução do povo brasileiro.

“Nesse contexto que enalteça o trabalho honrado e ininterrupto de cada um de vocês, que seguem nas organizações militares da nossa Marinha. O Brasil segue convicto que esse e outros empreendimentos possibilitarão um futuro grandioso ao povo brasileiro”, disse. As embarcações estão sendo construídas na Base de Submarinos da Ilha da Madeira, a mais moderna da Marinha brasileira. O local faz parte do Programa de Desenvolvimento de Submarinos, lançado em 2008 em uma parceria estratégica com a França. A tecnologia importada agora poderá ser utilizada na indústria brasileira. Ao todo, o Programa de Desenvolvimento de Submarinos deve receber R$ 35 bilhões do governo brasileiro para a produção dos quatro submarinos convencionais e do primeiro submarino brasileiro com propulsão nuclear.

*Com informações do repórter Antônio Maldonado