O governo do Estado de São Paulo anunciou, nesta sexta-feira, 11, que vai reduzir o horário de funcionamento de bares e ampliar o comércio e shoppings na tentativa de diminuir a taxa de contágio da Covid-19. A venda de bebidas alcoólicas também vai ser afetada. De acordo com o secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, São Paulo registrou um aumento de 23,6% no número de casos, de 15,5% nas internações e de 30,3% nos óbitos nas últimas duas semanas epidemiológicas. “O lazer noturno acaba sendo um ponto de promoção de aglomeração sem o seguimento das regras sanitárias”, disse.

O comércio agora ampliou o horário de funcionamento de 10h para 12h, mantendo o fechamento às 22h e o limite de 40% da capacidade máxima. Os bares poderão funcionar até às 20h, desde que os clientes estejam sentados e em mesas com no máximo seis pessoas. Os restaurantes também só podem atender pessoas sentadas e com fechamento às 22h. Em ambos os locais, os alcóolicos podem ser vendidos apenas até às 20h e está permitido o limite de 40% da capacidade máxima de pessoas. Os postos de conveniência que ficam no perímetro urbano podem continuar funcionando até às 22h, mas só podem comercializar álcool até às 20h — seja para consumo local ou não. As medidas valem a partir das 00h do sábado, 12, e valem por pelo menos um mês — podendo ser prorrogado. Cerca de mil agentes da Vigilância Sanitária vão para às ruas reforçar a fiscalização.

A secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, e o coordenador executivo do Centro de Contingência, João Gabbardo, não descartam a possibilidade de algumas região voltarem para a Fase – Laranja do Plano São Paulo. O governo estadual notou uma mudança no perfil da demanda pelo leito Covid-19. Se entre março a novembro a maioria eram pessoas entre 55 a 75 anos, nas últimas 3 semanas se destacam os mais jovens: de 30 a 50 anos. A faixa etária de 20 a 39 representa 40% dos casos e 3,6% dos óbitos. O Estado de São Paulo tem, nesta sexta, 1.325.162 casos confirmados da Covid-19 e 43.802 óbitos pela doença. A taxa de ocupação de leitos de UTI está em 58,4% no Estado e 64,4% na Grande São Paulo. O número de internados é de 4.573 em UTI e 6.196 em enfermarias — entre casos confirmados e suspeitos.