Na semana, os índices anotaram perdas: Dow Jones fechou em queda de 0,57%, o S&P 500 cedeu 0,96% e o Nasdaq caiu 0,69%. Os principais índices de ações do mercado americano encerraram a sexta-feira (11) próximos da estabilidade, com ganhos limitados pelas incertezas relacionadas ao pacote de estímulos fiscais em Washington e pela falta de progresso nas negociações por um acordo comercial entre o Reino Unido e a União Europeia.
Na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse), o Dow Jones encerrou o dia em ligeira alta de 0,16%, aos 30.046,37 pontos, enquanto o S&P 500 recuou 0,13%, a 3.663,46 pontos. O índice eletrônico Nasdaq terminou o dia com perdas de 0,23%, a 12.377,87 pontos.
Com isso, as ações em Nova York acumularam perdas na semana. O Dow Jones fechou o período em queda de 0,57%, o S&P 500 cedeu 0,96% e o Nasdaq caiu 0,69%.
Pacote de estímulos
O pacote bipartidário de estímulos fiscais de US$ 908 bilhões, que gerou certo otimismo entre investidores nas últimas semanas, permanece em um limbo, mesmo com a recente deterioração de indicadores do mercado de trabalho dos Estados Unidos.
Em Washington, o Senado aprovou um projeto de lei de gastos de uma semana apenas para manter o governo funcionando nos próximos dias. Republicanos do Senado ainda pressionam por um projeto de lei de estímulos mais enxuto e diferenças permanecem nos temas de suporte a governos estaduais e locais e de proteção de responsabilidade para empresas.
“As questões políticas em Washington são realmente o que estão conduzindo o mercado”, disse Donald Calcagni, diretor de investimentos da Mercer Advisors, ao MarketWatch.
“Também há ventos contrários de curto prazo, incluindo novas restrições, a disparada na contagem de casos de Covid-19 e 3 mil americanos morrendo todos os dias”, acrescentou Calcagni.
Novo recorde nos EUA: 3 mil mortes por covid-19 em 24 horas
“Será difícil para o Congresso concordar com qualquer coisa antes do segundo turno da Geórgia. Não estou otimista entre agora e o início de janeiro. O mercado está maduro para uma correção e vejo como possível uma queda de 7% a 10%, caso não haja mais liderança política em torno dessas questões”, afirmou.
Aumentando ainda mais as preocupações dos agentes financeiros, os Estados têm imposto restrições, à medida que os casos de Covid-19 continuam aumentando. O governador de Nova York, Andrew Cuomo, ordenou, hoje, a suspensão das refeições em ambientes fechados na cidade de Nova York.
Os novos casos de coronavírus nos EUA aumentaram pelo quarto dia consecutivo ontem, chegando a 224 mil, o segundo maior número desde o início da pandemia. O total de mortos na quinta-feira (10) ultrapassou os 2,9 mil e as hospitalizações atingiram um recorde de 107.258, de acordo com o “Covid Tracking Project”.
Brexit
Do outro lado do Atlântico, impasses nas conversas entre a União Europeia e o Reino Unido também limitaram o otimismo dos agentes financeiros nesta sexta-feira.
A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, disse, hoje, aos líderes europeus reunidos em Bruxelas que um Brexit sem acordo comercial é, agora, o resultado mais provável, de acordo com a Reuters, citando uma autoridade europeia a par do assunto. Von der Leyen não deu um percentual de probabilidade para que um acordo seja alcançado, mas disse aos líderes europeus que “há uma probabilidade mais elevada de não haver um acordo do que de haver um acordo”, disse a fonte.
A avaliação da presidente da Comissão Europeia segue na esteira dos comentários do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, que disse, ontem, que há uma “forte possibilidade” de que não haja um acordo comercial entre o Reino Unido e o bloco. Ambos os lados disseram anteriormente que um acordo precisa ser alcançado até domingo (13).
“Com o impasse se arrastando, o risco de um ‘no-deal’ parece estar aumentando o tempo todo”, afirmou Ruth Gregory, economista-sênior de Reino Unido da Capital Economics.
“Embora apenas algumas semanas atrás pensássemos que as chances eram um pouco maiores do que nossas probabilidades publicadas de 60% a 40% a favor de um negócio, agora colocamos as chances em 50% a 50%. E mesmo isso pode ser um pouco generoso”, disse.
Em uma sessão mista, seis índices setoriais do S&P 500 recuaram, quatro fecharam em queda e um terminou estável. O destaque negativo do dia foi o segmento de energia, que recuou 1,15%, mas registra alta superior a 11% em dezembro.
Na contramão, o segmento de comunicação subiu 1,15%, impulsionado pela alta nas ações da Disney, que fecharam a sessão com ganhos de 13,59%.
Vídeos: Últimas notícias de economia