Para este ano, instituto reduziu previsão de alta de 1,9% para 1,5%. Já para o ano que vem, estimativa caiu de 2% para 1,2%. Menor produção de trigo e carne impactaram em corte de projeção. Queda na produção de carne bovina foi um dos fatores que impactou queda nas projeções do PIB agro
Delfino Miranda/Divulgação
O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revisou para baixo as projeções de crescimento do PIB agropecuário de 2020 e 2021, segundo carta de conjuntura divulgada nessa terça feira (24).
As novas estimativas apontam para altas do PIB agro de 1,5% e 1,2%, em 2020 e 2021, respectivamente.
As projeções anteriores indicavam crescimentos maiores, de 1,9% e 2%, respectivamente.
A revisão da estimativa de 2020 é explicada por quedas nas projeções de novembro em itens como lavoura e pecuária.
“O valor adicionado (VA) da lavoura teve previsão revista de 3,9% para 3,8%, principalmente pela revisão da estimativa para a produção de trigo”, informou o órgão em nota.
“Para o VA da pecuária, a queda prevista de 1,5% foi elevada para 2%, em virtude de um recuo mais forte da produção de carne bovina no terceiro trimestre em relação ao que havíamos projetado”, informou o Ipea.
Para 2021, as novas projeções no PIB agropecuário foram justificadas por revisões em estimativas feitas por Conab, IBGE e FAO e outros órgãos.
“Nossa estimativa para o VA da lavoura é de crescimento de 0,4%, sustentado por uma expectativa de novas safras recordes de soja (4,6%) e milho (2,6%) para 2021. No entanto, a queda em outras culturas deve compensar parte da contribuição positiva desses dois grãos”, disse o instituto.
VÍDEOS: tudo sobre agronegócios