Dois distritos da cidade de Nova York, nos Estados Unidos, terão novas restrições para tentar conter o avanço da Covid-19. Nos últimos dias, Manhattan e Staten Island registraram um aumento no número de casos da doença. Com isso, o governador do estado, Andrew Cuomo, afirmou nesta segunda-feira, 23, que a taxa de pessoas submetidas testes subiu para 3,08%, com 5.906 casos, 2.724 pessoas hospitalizadas e 33 novas mortes nas últimas 24 horas. O bairro de Washington Heights, em Manhattan, entrará na zona “amarela”, que apresenta restrições como limite de quatro pessoas por mesa em restaurantes.

Já em Staten Island, cinco bairros estão na zona “laranja”, em uma situação tão delicada que levou as autoridades a abrirem um hospital de campanha para atender apenas pacientes com Covid-19, uma vez que as unidades de saúde convencionais estão superlotadas. Cuomo também pediu que os moradores da cidade não tenham excesso de confiança por conta das boas notícias sobre a eficácia de vacinas contra a doença. “A vacina não vai chegar a tempo de deter uma taxa de contágios que está aumentando”, disse o governador.

*Com informações da EFE