Diante do resultado da pesquisa Ibope de boca de urna, divulgada pouco depois do fechamento das urnas, o entorno de Jilmar Tatto jogou a toalha e não acredita na possibilidade do candidato do PT disputar o segundo turno da corrida eleitoral pela Prefeitura de São Paulo. Apesar do discurso cauteloso, ocasionado pela demora na divulgação dos dados oficiais, petistas afirmam que uma declaração de apoio ao candidato do PSOL, Guilherme Boulos, deve ocorrer ainda hoje. “Não acreditamos que dê para virar. Apoio deve ocorrer ainda hoje”, disse à Jovem Pan um dos coordenadores de campanha. Com apenas 0,39% das urnas apuradas até a publicação desta reportagem, Tatto não havia telefonado para Boulos. O Ibope mostrou o prefeito Bruno Covas com 33% dos votos válidos, seguido por Boulos, com 25%. Tatto, por sua vez, tinha 8%, numericamente empatado com Celso Russomanno (Republicanos) e Arthur do Val (Patriota).

Além da declaração informal de apoio, a cúpula do PT pretende se reunir, nesta segunda-feira, 16, com Boulos e representantes do PSOL para costurar formalmente a aliança. Segundo um petista próximo a Tatto, a ideia da conversa é ouvir quais os planos de Boulos e Luiza Erundina, candidata a vice-prefeita, para o segundo turno e para a cidade de São Paulo. Apesar da discrição de muitos petistas, outros já se manifestam publicamente sobre o cenário traçado pela pesquisa de boca de urna. Segundo o vereador Eduardo Suplicy, um dos quadros mais significativos do partido na capital paulista, Tatto já se manifestou em favor da candidatura de Boulos. Desde antes da disputa, os partidos do campo progressista haviam firmado acordo para apoiar o candidato do grupo que conseguisse levar a disputa para o segundo turno. “Já conversei com a Erundina e expressei meu apoio para ajudá-los na campanha e na formação de um plano de governo”, afirmou à Jovem Pan.