Em celebração ao mês da consciência negra, o Museu da Imagem e do Som (MIS) de São Paulo realiza a 16ª edição anual da Mostra Internacional do Cinema Negro. Por causa da pandemia de Covid-19, o projeto, que valoriza a cultura afro-brasileira, está sendo exibido integralmente em plataformas digitais. Desenvolvido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Coleção Africanidade e Celso Prudente Gargântua Produções, a mostra tem a curadoria de todas as minorias vulneráveis, com acervo do cinema brasileiro ao que se refere à biodiversidade e à diversidade.

Para o professor e curador da Mostra, Celso Luiz Prudente, o projeto acadêmico e cultural reafirma positivamente o compromisso ético e militante, além de promover a luta contra o racismo. Este ano, a mostra tem como grande homenageado o compositor Zé Keti e recupera a memória dos diretores José Carlos Bule e Anselmo Duarte e também dos atores Grande Otelo e Ruth de Souza. São dezenove filmes inéditos dentro da programação e exibidos pelo canal do Youtube do MIS. O diretor cultural do MIS, Cleber Papa, conta que a mostra é o destaque da programação desta semana que se estenderá até domingo. Durante o evento, sessões e fóruns vão ser abertos ao público para conversas online.

*Com informações da repórter Silene Dias