Segundo companhia, resultado reflete redução nas receitas com clientes comerciais e industriais, bem como postergação do reajuste tarifário e volatilidade cambial. A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo teve lucro líquido de R$ 421,6 milhões no 3º trimestre, queda de 65% em relação ao mesmo período do ano anterior, de acordo com dados divulgados no final da quinta-feira (12).
Tal resultado refletiu, entre outros fatores, redução nas receitas com clientes comerciais e industriais, bem como postergação do reajuste tarifário, isenção de pagamento a determinadas categorias de clientes e volatilidade cambial.
A receita operacional líquida caiu 18%, para R$ 4,4 bilhões, enquanto os custos, despesas administrativas e comerciais e custos de construção aumentaram 20,5%, para R$ 3,5 bilhões.
O resultado operacional medido pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado somou R$ 1,5 bilhão, queda de 49,7% na comparação ano a ano, com a margem Ebitda ajustada ficando em 34,1%, de 55,6% um ano antes.
O volume faturado de água e esgoto da companhia alcançou 997 milhões de metros cúbicos no terceiro trimestre, alta de 4% frente ao mesmo intervalo de 2019.
O investimento realizado de julho a setembro foi de R$ 1,07 bilhão.
Vídeos: veja últimas notícias de economia