Instituição divulgou nesta sexta-feira boletim com análises para nível de atividade nas regiões do país. BC avalia que várias atividades do setor de serviços permanecem bastante deprimidas. O Banco Central informou nesta sexta-feira (13) que indicadores recentes do nível de atividade sugerem “recuperação desigual” entre setores na economia brasileira e acrescentou que a “pouca previsibilidade” associada à evolução da pandemia, e ao necessário ajuste dos gastos públicos a partir de 2021, com fim do auxílio emergencial, “aumenta a incerteza sobre a retomada da atividade”.
“Os programas governamentais de recomposição de renda favoreceram retomada relativamente forte do consumo de bens. Contudo, várias atividades do setor de serviços, sobretudo aquelas mais diretamente afetadas pelo distanciamento social, permanecem bastante deprimidas”, informou a instituição.
Em termos regionais, acrescentou o BC, os movimentos das economias “também foram desiguais, refletindo, em alguns casos, a estrutura produtiva distinta, e, em outros, as diferenças do aumento da mobilidade e dos impulsos dos programas emergenciais”.
Acrescentou que, nesse sentido, a incerteza sobre o ritmo de recuperação econômica, em termos regionais, “é ainda maior para as economias mais impactadas pelos benefícios emergenciais”.