O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, teria compartilhado com amigos o seu desejo de abrir uma empresa de mídia digital que concorreria com a emissora de televisão Fox News. Conhecido por ter um posicionamento conservador, o veículo costumava ser visto como um aliado do partido republicano, mas chamou atenção ao anunciar a vitória do democrata Joe Biden no estado do Arizona, que estava dividindo a opinião da imprensa norte-americana. Esse acontecimento teria enfurecido o presidente, que de fato utilizou a sua página oficial no Twitter para criticar a emissora em várias ocasiões desde então. As informações são do jornal online Axios, que disse ter entrado em contato com fontes próximas a Trump.

“Ele planeja destruir a Fox. Não há dúvidas sobre isso”, teria dito um dos informantes. Ao invés de seguir com um canal a cabo, o que seria caro e demorado, Trump estaria planejando a criação de um canal a ser transmitido online, que possivelmente cobraria uma taxa mensal dos assinantes após um período de gratuidade. A ideia seria lançar preços mais competitivos que o serviço de streaming da Fox, que custa US$ 5,99 por mês. Nos últimos dias, o presidente também tem utilizado o seu perfil no Twitter para dizer que a Fox News “mudou” e promover outros veículos de comunicação considerados conservadores e de direita, como é o caso da One America News e do Newsmax.

Ciente das informações divulgadas pelo Axios, o site de notícias Business Insider aprofundou a pesquisa contatando cinco republicanos familiarizados com esses supostos planos. Eles disseram que, em outubro, o genro e conselheiro do presidente, Jared Kushner, teria lançado a ideia de um veículo de comunicação com a marca Trump. Em resposta a esses rumores, o CEO da Fox, Lachlan Murdoch, afirmou “Nós amamos competição. Nós sempre prosperamos com a competição”.  Apesar da vitória de Joe Biden ter sido projetada pela grande parte da imprensa dos Estados Unidos, Donald Trump ainda não reconheceu o resultado e tem aberto uma série de processos judiciais contra estados considerados chave para as eleições.