Nesta quarta-feira, 4, a campanha à reeleição do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, protocolou uma ação judicial para tentar impedir Michigan de oficializar o resultado da contagem dos votos em seu território. Os republicanos alegam que houve uma série de “irregularidades” nos votos enviados pelo correio na região de Detroit e um defeito em um programa utilizado no condado de Antrim. O candidato do Partido Democrata, Joe Biden, foi declarado pela imprensa norte-americana como vencedor dos 16 delegados concedidos por Michigan. Segundo a agência de notícias Associated Press, dos 99% de cédulas apuradas, o ex-vice-presidente tinha 50,6% dos votos, contra os 47,9% de Trump, o que representaria uma diferença de cerca de 146 mil votos.

Desde que a vitória de Biden foi projetada pela mídia no sábado, 7, o presidente apareceu publicamente em poucas ocasiões e tem se recusado a aceitar sua derrota, acusando a oposição de ter cometido fraude eleitoral. Nesta quarta-feira, 4, o jornal norte-americano The New York Times publicou uma matéria em que afirma ter contatado autoridades de todos os estados do país, sendo que todas elas disseram não ter levantado nenhuma irregularidade que possa ter influenciado no resultado das eleições presidenciais. Além disso, uma pesquisa realizada pela Ipsos em parceria com a Reuters indica que 79% dos cidadãos já reconhecem Biden como o presidente eleito.

*Com informações do Estadão Conteúdo