Desvalorização do real frente ao dólar contribuiu negativamente para os resultados da empresa. A Braskem teve prejuízo líquido de R$ 1,4 bilhão no terceiro trimestre, acima da perda de R$ 888 milhões um ano antes, em resultado afetado por provisão adicional referente a evento geológico de Alagoas e efeito cambial.
De acordo com a petroquímica, o provisionamento relacionado aos problemas em Alagoas alcançou R$ 3,56 bilhões, enquanto o impacto da variação cambial no resultado financeiro, dada a depreciação do real frente ao dólar sobre a exposição líquida, atingiu US$ 2,68 bilhões.
Tais efeitos ofuscaram o aumento de 20% na receita líquida com vendas, para R$ 16 bilhões, enquanto o custo do produto vendido subiu 7%, a R$ 12,4 bilhões. O resultado financeiro líquido ficou negativo em R$ 1,8 bilhão, contra resultado negativo de R$ 2 bilhões um ano antes.
No trimestre, citando estratégia de priorizar o mercado brasileiro, a companhia disse que superou 1,050 milhão de toneladas de resinas comercializadas no mercado doméstico, recorde trimestral histórico de vendas de resinas no Brasil, segundo os números conhecidos na noite de terça-feira.
Assista as últimas notícias de economia