Ex-prefeito de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, o candidato José Fortunati, do PTB, anunciou nesta quarta-feira, 11, que desistiu de concorrer à eleição municipal de 2020 após o Tribunal Regional Eleitoral decidir por unanimidade indeferir o registro de candidatura do vice dele, André Chechini (Patriota), porque ele não teria se filiado ao partido a tempo suficiente do estabelecido pela Justiça Eleitoral para participar das eleições. Em transmissão ao vivo, o candidato do PTB afirmou que a decisão do tribunal surpreendeu a chapa e que ela fere as resoluções do TSE. “Para mim, essa é uma decisão absolutamente política”, pontuou o candidato.

Ele disse, ainda, que foi convencido a concorrer ao cargo de prefeito por amigos após voltar de Portugal e que, caso eleito, não pretendia concorrer à reeleição. Apesar da decisão do TRE caber recurso, o prazo até as eleições, realizadas no domingo, 15, poderia colocar os votos para o candidato em risco, já que com a impugnação da chapa, o nome de Fortunati apareceria nas urnas, mas os votos para ele não seriam computados. “Recebi muitos apelos, vários telefonemas para que não desistisse, mas eutri tenho que ter responsabilidade com Porto Alegre, tenho que ter responsabilidade com o estado democrático de direito. Nós não podemos ir para um embate desta envergadura, uma eleição tão importante para nossa cidade, deixando em aberto um processo judicial e trazendo a fragilidade jurídica que tanto nos assusta”, afirmou Fortunati, declarando que a desistência era algo que “dói no fundo do coração”.

Emocionado, Fortunati agradeceu à esposa, ao coordenador da campanha, aos companheiros políticos e àqueles que trabalharam com ele nos últimos meses. Ele não sinalizou apoio a nenhum dos concorrentes até o momento. As últimas pesquisas para a prefeitura da capital do Rio Grande do Sul mostram o candidato José Fortunati empatado tecnicamente no segundo lugar com o atual prefeito da cidade, Nelson Marchezan Júnior (PSDB) e com o candidato do MDB, Sebastião Melo, ambos com 14% das intenções de voto. A liderança da pesquisa é da candidata Manuela D’Ávila, do PCdoB, que tem 27% das intenções.